Geral Política

Governo reconhece situação de emergência no Pantanal, casos de coronavírus estão estáveis em maior parte do país e mais notícias2 min

14/09/2020 2 min read

author:

Governo reconhece situação de emergência no Pantanal, casos de coronavírus estão estáveis em maior parte do país e mais notícias2 min

Reading Time: 2 minutes

Governo reconhece situação de emergência no Pantanal

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional reconheceu que há uma situação de emergência na região do Pantanal, no Mato Grosso do Sul. Segundo estimativa do Ibama, a área queimada pelos incêndios florestais deve chegar a 1,45 milhão de hectares.

Casos de coronavírus estão estáveis em maior parte do país

Segundo levantamento feito pelos principais jornais do país, o Brasil registrou 131.736 mortes por coronavírus e 4.335.066 casos confirmados até as 13h desta segunda-feira (14). Os estados de Roraima, Acre e o Ceará continuam com o número de casos em crescimento. Os demais estados do país estão em estabilidade ou em queda.

Lava Jato denuncia Lula, Palocci e Okamotto por lavagem de dinheiro

A força-tarefa da Lava Jato denunciou o ex-presidente Lula, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto por crime de lavagem de dinheiro. De acordo com os procuradores, os três cometeram os crimes em ações envolvendo doações da Odebrecht ao Instituto Lula para disfarçar repasses no total de R$ 4 milhões, entre dezembro de 2013 e março de 2014.

Agências do INSS reabrem, mas grande parte dos funcionários não volta a trabalhar

Depois de mais de cinco meses fechadas, as agências do INSS reabriram nesta segunda-feira (14). A orientação inicial é que só haveria consulta com horário marcado. No entanto, em grande parte do país os médicos peritos não voltaram ao trabalho e os que já tinham agendamento marcado não conseguiram realizar a consulta.

Bolsonaro veta perdão de dívida de igrejas

O presidente Jair Bolsonaro decidiu vetar, parcialmente, uma proposta aprovada no Congresso que perdoava dívidas tributárias de igrejas. O texto foi aprovado no Congresso mas, com veto parcial. O governo já disse que o presidente Jair Bolsonaro, no entanto, é favorável à não tributação de templos de qualquer religião.

Foto: Mayke Toscano/Secom-MT