Geral Política

Maioria do STF defende que o Estado possa obrigar a população a se vacinar, mundo bate recorde diário de novos casos de Covid e mais notícias2 min

26/10/2020 2 min read

author:

Maioria do STF defende que o Estado possa obrigar a população a se vacinar, mundo bate recorde diário de novos casos de Covid e mais notícias2 min

Reading Time: 2 minutes

Maioria do STF defende que o Estado possa obrigar a população a se vacinar

O Supremo Tribunal Federal deverá decidir, antes mesmo da vacina ficar pronta, se o Estado pode obrigar a população a se imunizar. A maioria dos ministros defendeu que é possível impor a obrigatoriedade da vacina. No entanto, o presidente do Supremo, Luiz Fux, ainda não definiu o melhor momento para a discussão do tema.

Apenas em Outubro, mundo bateu recorde diário de casos de Covid por 9 vezes

Segundo dados da OMS, apenas no mês de outubro, o mundo bateu 9 vezes o recorde diário de novos casos de Covid-19. Esse número é o maior desde janeiro, quando os recordes de casos diários foram batidos 12 vezes. Tal fato acontece no momento em que a Europa se depara com uma segunda onda de infecções.

Ministro do Meio Ambiente pede desculpas a ministro da Secretaria De Governo

No domingo (25), o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, publicou em sua rede social, um pedido de desculpas por ter chamado o ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, de “maria fofoca”. Salles havia comentado que Ramos, que é responsável pela articulação política do governo, deveria parar de fofocar.

Nota do Enem 2020 não será obrigatória para Sisu e ProUni de 2021

De acordo com uma medida provisória assinada esse ano, estudantes que prestarem o Enem 2020 não serão obrigados a utilizar a nota do Enem 2020 para a seleção no Sisu e ProUni 2021. Eles terão a opção de utilizar as notas das edições anteriores do Enem, ou podem optar por usar a deste ano.

Inquéritos no STF podem ajudar Justiça Eleitoral a combater milícias digitais, diz Alexandre de Moraes

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, afirmou que as investigações da Polícia Federal e do próprio Supremo podem ajudar a Justiça Eleitoral a combater as “milícias digitais”. As milícias digitais podem ser caracterizadas como aqueles que, utilizando as redes sociais, se aproveitaram de recursos não declarados para eleger seus representantes.

Foto: Governo do Paraná